03 setembro 2008

Sampa, descendo a serra, 24 de setembro de 2008...(no bloquinho de anotações )

CARTA ABERTA À TRÓPIS


É incrível o nível de insistência de algumas pessoas . Insistir na felicidade, na troca de idéias, de ideias, de afetos, de conhecimento, de olhares.

Meu querido Ralf.

Tê-lo conhecido foi um dos presentes que ganhei.
Através do menino-bonito-Gunnar, vc veio a tiracolo.

No último dia 23 de setembro, lá no Encontro de cantores, senti uma felicidade tamanha..
Foi a voz do Gunnar ao telefone me convidandome comovendo, me convencendo a ir - subir a serra, abandonar o frio daqui de santos, a chuva, minhas dores(físicas/afetivas).
Vou pra Sampa.
Rever o Gunnar, e vc, Ralf não é apenas rever bons amigos - é dar um mergulho num imenso universo de humanidade, de convívio, de trocas, de conhecimentos.
Rever vcs, ouvir a Dessa cantando como uma sereia-afro, encantando a mim, a todos, ver parceiros amorosos em olhares e beijos, tudo isso me marcou.
Revê-los já é um show a parte - e ver o show dos artistas então... Foi realmente como se eu estivesse num grande evento - de profissionais - amadores "apenas" no sentido da palavra - amador - aquele que ama...

Revê-los e ouvir a gaita do Peu - e ver o artista-pai amarrando o tênis do filho no palco...
e ver uma moça dançando muito e depois sabê-la - Soninha, a vereadora..
Voltei com uma grande sensação de que algo não se perdeu. Nem em mim, nem em ninguém. como se eu fosse acometida do verbo esperançar de Paulo Freire...
Nutri-me de vocês ! - dos olhares, das músicas, da poesia, do aconchego, da acolhida. Nutri-me de todos - cada um do seu jeito - e eram tantos jeitos que me parti em milhares - adorei isso, esse mosaico ao qual me refiz!



Quando acabou o som na Monte Azul, com gosto de quero mais(ficaríamos ali dançando muito, né Ralf?), e vi o povo perguntando-meio-afirmando: Vamos subir?, nao entendi a princípio que subir era ir para a Trópis-casa...e fui sendo levada.

Levada para Subir mesmo, para elevar-se, literalmente, às estrelas, ao som, à música, aos músicos, aos instrumentos, ás vozes e risos de todos. Uma comunhão. Uma poesia ter estado em 'SUA" casa...

dia seguinte café da manhã com pão integral , uma criança nas pernas de um pai, conversa inteligente logo cedo, sessão de fotos com a Bel na "sacada-laje" , a Paula se agilizando pra fazer o almoço, a cozinha que ja tinha sido limpa por alguém(quem-limpou-tudo-AQUILO ????) (sim, pq essas reuniões, minha gente, deixa mesmo uma ba-gun-ça!!!)

Revê-los É ficar com vontade de comer o bobó de camarão da Paula, mas..isso é outra história, deixa pra próxima vez...

Fui embora com a explicação de como chegar ao Ponto de ônibus - segue em frente, vira a direita, segue em frente de novo, vira a direita e segue em frente...(eu , com aminha noção espacial comprometida) - e o Ralf - "Não olhe pra trás - segue em frente"... e foi oque eu fiz - e cheguei!

então , meu querido...fica aqui meu desejo que a casa seja mesmo COMPRADA ! que seja DE VOCÊS TODOS E DE MIM E DE QUANTOS MAIS CHEGAREM POR AÍ !

nao posso deixar de esnobar meu inglês: AI LÓVI IU !

BJs bjs
com carinho IMENSO BEL

Um comentário:

Gunnar Vargas disse...

adoro seu inglês! rsrs
beijo no coração